Com as férias acabando, chegou a época  do ano que muitas pessoas, especialmente as crianças adoram: comprar o material escolar! Porém, se você fizer uma busca rápida por alguns sites de papelaria e livrarias, vai perceber que os preços dos itens básicos de qualquer lista, como cadernos, lápis e canetas sofreram um grande reajuste. Assim, como em tudo na vida, antes de sair comprando os itens da lista de material, o ideal é fazer uma boa pesquisa de preço.

Mas, e se as crianças não quiserem abrir mão da mochila ou mesmo do lápis decorado com desenhos do personagem favorito, o quê os pais devem fazer nessas horas? Deixar os filhos em casa ou abrir a carteira e comprar tudo o que os pequenos querem? E quanto aos adolescentes então? Será que não é hora deles pararem de besteira sobre usar apenas aquilo que está na moda? Pensando em ajudar você a equilibrar as contas, nós do Utopia Mulheres vamos te ajudar dando algumas dicas de como você pode economizar com a lista de material escolar e ainda sobra um dinheirinho para aproveitar a última semana das férias.

1- Sobrou alguma coisa?

Google Imagens

Sabe aquela dica de que sempre dá para aproveitar alguma coisa? Ela é muito bem vinda nesse momento. Antes mesmo de verificar a lista de material escolar deste ano, verifique com seus filhos o que sobrou do ano passado e ainda pode ser utilizado esse ano. Não faz ideia de quais itens podem ser aproveitados? Qual tesouras (acredite ou não, ainda hoje tenho e uso uma tesoura escolar que a minha mãe comprou no 2º ano, e olhe que sempre fui de fazer os trabalhos manuais do colégio), lapiseiras, apontadores, estojos, réguas e uma série de outros itens que muitas vezes a escola solicita, mas que a crianças acabam não utilizando muito ou em certos casos, nem retirando da embalagem. Até mesmo os cadernos, itens de extrema necessidade para quem estuda, e que foram pouco utilizados podem ser reaproveitados no ano seguinte. Se forem de espiral (aquela molinha que segura as folhas), ele pode ser removido do e as folhas usadas retiradas, fazendo isso em todos os cadernos, é possível conseguir um novinho e bem mais colorido. Já aqueles de brochura (que recebem costura para segurar as folhas), podem ser utilizados para rascunho na hora dos estudos em casa. Assim, você evita desperdícios e o meio ambiente agradece.

2- Pesquisar

Pinterest – Amazonas Notícias

Depois de vê tudo que dá para reaproveitar do ano anterior, chegou a hora de verificar a lista de pesquisar. Sim, pesquisar e diga-se de passagem, pesquisar bastante. Em uma busca rápida, nós aqui da redação pudemos comprovar o quanto a variedade de preços dos mesmos itens pode ser de até 200% entre livrarias e papelarias online. Agora, imagina quando você sai com a lista às ruas e para o comércio do centro da sua cidade pesquisar? Temos certeza que a variação de preços será ainda maior. Assim, pesquisar antes de comprar os itens desde ano é fundamental.

3- A lista da escola

Pinterest – Faz Fácil

Sabe por que cada série escolar tem uma lista própria? Porque a escola sabe o que será necessário para o desenvolvimento e aprendizado das crianças a cada faixa etária, e por mais que os itens sejam caros e achemos que até mesmo alguns deles sejam desnecessários, não é por acaso que o colégio está pedindo aquele item. Assim, ater-se a lista é essencial. Outra coisa, não por que a escola pediu apenas um pincel, que você deve comprar 5 (quatro de reserva) ou então na lista vem escrito 3 lápis de escrever que você deve comprar 60 (uma quantidade bem menor resolve). Além de evitar comprar itens desnecessários, o excesso de consumismo não ajudar em nada na educação financeira dos seus filhos.

4- Materiais de uso coletivo

Papelaria Iracema

Desde 2013, com a Lei 12. 886, a lista de materiais escolares de uso coletivo, higiene e limpeza ou até mesmo a cobrança de taxas para suprir despesas como água, luz, telefone, impressão e xerox é proibida. Além disso, a escola também não pode exigir que os pais comprem o material escolar na própria escola, determinar de qual marca deverá ser comprada ou ainda em qual loja os itens devem ser comprados. Essa regra só não se aplica às escolas que utilizam apostilas, pois nesses casos, o material didático só pode ser realmente adquirido na escola. Porém, ainda assim há uma forma dos pais negociarem com as escolas para comprar os itens aos poucos, à medida que os filhos forem avançando no conteúdo das aulas.

5- Taxa de material

180 Graus

Assim como a lista de material de uso coletivo, a cobrança de taxa de material escolar sem um argumento justo ou a apresentação de uma lista, é considerada uma cobrança abusiva por parte da escola. A instituição de ensino é obrigada a informar aos pais os itens que devem ser adquiridos. Porém, o consumidor tem todo direito de escolher entre comprar os produtos solicitados ou de pagar pelo pacote oferecidos pela escola.

6- Conversar com as crianças

Correio 24 horas

Aquela conversa entre pais e filhos que acontece antes de qualquer saída a passeio, também deve acontecer antes da compra do material escolar. Os pais devem ser bem claros e explicar de maneira objetiva a situação financeira da família e o quanto do orçamento poderá ser gasto com o material escolar. Os limites financeiros devem ser discutidos e explicados às crianças, especialmente quando elas já forem um pouco maiores. Além de ser uma prática saudável, conversar e planejar com as crianças quanto, onde e como o dinheiro deverá ser gasto é uma boa lição de educação financeira, que possibilitará aprender na prática o real valor do dinheiro e como ele deve ser usado para conseguir os itens desejados.

7- Compras coletivas

Print Utopia

Além das conversas sobre a rotina escolar, os grupos de WhatsApp dos pais da escola podem ter outra utilidade fundamental nessa época do ano: fazer com que os pais economizem na hora de comprar os itens da lista. Materiais como tintas, colas, pincéis cadernos e até mesmo os livros didáticos pode ser barganhados e negociados pelos pais que se reunirem para comprar em conjunto. É muito mais viável para as livrarias e papelarias vender itens em atacado, pois isso fará com que o estoque das mesmas circule com mais facilidade. Sem contar a economia real que muitos pais fazem. Que um exemplo prático? Experimente verificar o preço da cola em bastão: vendida em unidade, com 36 g, o item custa R$ 6, 49. Um pac com 6 unidades da mesma cola (36g e da mesma marca), custa R$ 29,99 (a unidade custa R$4,99, uma economia que chega a R$ 1,50 por unidade). Agora me diz, vale ou não à pena comprar alguns ou mesmo todos os itens da lista com outros pais, de maneira coletiva? E olha que nem fizemos o cálculo baseado nos preços do comércio popular, e sim em uma das redes de papelaria online.

8- Marcas e personagens de desenhos animados

Revista W3

Sim, sem sombra de dúvidas esses são os maiores inimigos dos pais na hora de comprar o material escolar. Apesar de todos os esforços que fazem para atender os desejos dos filhos, os itens da lista que tem os personagens da moda e que muitas vezes são os que as crianças mais querem, sempre são os mais caros e pesam de verdade no orçamento. Se o principal objetivo dos pais é economizar nas compras, é necessário explicar às crianças que se comprar um lápis ou caderno do personagem querido por X reais, ele terá que compensar ou mesmo deixar de comprar outros itens da lista necessários ao aprendizado. Não será fácil, porém ensinar isso às crianças os tornará adultos mais conscientes.

9- Troca de materiais

Tribuna do Sertão

Uma prática antiga e que ajuda a economizar bastante é a troca de materiais escolares com pais que têm filhos em idade escolar diferente. E para saber disso, vale mais uma vez usa do WhatsApp. Os pais do grupo da série do seu filho sempre conhecem amigos e conhecidos que podem ter filhos em idade escolar diferente e que estão dispostos a compartilhar e revender os itens que seus filhos não utilizam mais. Essa prática já é estimulada por algumas escolas que promovem feiras de troca entre os pais. Além disso conversar com os vizinhos, pessoas da família e anunciar nas redes sociais é uma excelente opção. Sempre tem alguém interessado em fazer essas trocas. Se na sua cidade tiver um sebo, uma opção é levar os livros lá também. Quem sabe além de tudo, você não garante a próxima leitura do mês?!

10- Atenção com as embalagens

Portal Tocantins

Materiais solicitados pela escola e que terão contato direto com a pele da crianças como colas, tintas, fitas adesivas, entre outros itens, devem ter informações claras, precisas e principalmente em língua portuguesa sobre o fabricante, importador, composição, condições de armazenagem, prazo de validade e principalmente, se apresentam qualquer tipo de risco ao consumidor.

E aqui ainda vai uma dica extra: solicite a nota fiscal ao final da compra. Este documento, que muitas lojas negligenciam possibilitará que você cheque se todos os produtos estão devidamente descritos. Se não houver nada além de códigos dos itens, recuse a nota pois isso dificulta a identificação correta dos itens.  Após essas dicas, esperamos que você consiga economizar e ainda aproveitar a última semana de férias com bastante diversão com seus filhos. Boas compras.